domingo, 13 de fevereiro de 2011

Quem não teve a sua própria "Ponte para Terabitia"?

 




Estava em casa e passou essa doçura de filme, não havia ouvido falar dele antes e fiquei encantada com a sensibilidade do roteiro e a linda fotografia... Retrata o universo infantil com muita ludicidade e me fez pensar na minha própria infância, sei que tive muita sorte em ter minha própria "Ponte para Terabitia"...
Em 1993 ou 94 minhas sobrinhas moravam na minha casa, meu quintal era enorme, se tratava de um terreno que meu pai construiu uma casa muito pequena e fez uma grande plantação, muitas plantas e árvores...
Sempre fui muito sonhadora e imaginativa, juntei minhas sobrinhas e uma vizinha coloquei um lençol em volta do beliche e criei o "clube dos caveiras", tinha 11 anos e minhas sobrinhas 5 e 3, a vizinha deveria ter uns 6... Nessa época gostava muito de ler Pedro Bandeira e os seus "Karas", livros "A droga da obediência", "A droga do Amor", "Pântano de sangue" e o "O anjo da morte" davam um quê de aventura a minha imaginação e aquele quintal cheio de barrancos de terra e muito verde era o meu cenário de aventura... minha Terabitia... lá salvamos o mundo, procuramos tesouros, resolvemos mistérios, nos sujamos, rimos e deixávamos a mente se soltar...
Você que agora lê deve ter tido a sua Ponte para Terabitia também, sugiro veja essa bela película e se conecte novamente com essa terra que pela necessidade da vida a gente deixa adormecida em algum lugar do passado...

Massagem no ego...




quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Só ouvir não basta...

Tem que tocar, tem que sentir... como aquela canção... E ressoam os grilos ao tocarem violino no silêncio para escutar a voz do coração.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Cinco dias para chegada da "perigosa"...

A cinco dias da chegada do material que solicitei via internet, bate uma ansiedade... O blog verborragia vai mudar, tomar um rumo diferente... isso já estava previsto dadas as condições que estavam ficando cada vez mais evidentes, quando a poesia que saia de sua autora, cada vez mais tomava um rumo mais visual, cercado de imagens... No ano novo fui a Paraty no Rio de Janeiro e tive um impacto, primeiro o impacto visual da beleza local que desde São Paulo em Ubatuba já revelou uma nova perspectiva sob a forma como pretendo enxergar o mundo... Eu tinha uma câmera comum, que para tudo me servia e nem sequer passava pela minha cabeça que justo no momento em que pisasse naquela maravilha de cidade algo que seria para mim uma tragédia (pois quando fiquei morando na rua perdi todas as minhas fotos de familia e isso foi um ultraje à minha memória) se revelou uma grande possiblilidade de RENOVAÇÃO.
E cada vez mais que adentrava aquelas margens pude perceber detalhes da natureza e momentos bons que tive ao lado dos amigos de longa e breve data, percebi que merecia me dar esse presente: Porque não comprar uma câmera que valorizasse ainda mais o registro dessas belas experiências? Porque não fazer de um hobby algo mais sério que não sei que rumo vai dar, mas quem sabe se torne algo mais profissional? Então decidi criar mais um blog, que em breve divulgarei nome e link... Esse blog será a expansão, uma expansão que eu adoro quando ocorre em minha vida: que é quando levo a outro nível uma experiência e tiro algo bonito dela... Já fiz muito isso com a questão da dor no decorrer da vida e essa eu posso com muito orgulho dizer que nascerá de um dos muitos momentos felizes que ainda terei.

VIVER É A MAIOR DE TODAS AS VIAGENS!!!

VEM COMIGO! 

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Mais um pedaço! O peixe foi destroçado: casa do Araújo regada a caipirinha...

                     






Esse, mais que um dia de degustação, foi um dia de dançar! Eu que não vejo nos peixes a melhor culinária a ser apreciada, apreciei muito mais a companhia daqueles que estavam comigo... Amigos recentes, mas que a cada dia demonstram que poderão ocupar sala vip no coração, me fazendo relembrar que a renovação dos ciclos é sempre bem vinda quando se trata de boas pessoas. Uma mistura de diferentes gerações que fez mais um sabado agradável...